domingo, 19 de agosto de 2007

Argonautas

Oh, são tantas tormentas.. Não consigo me contentar com tamanho sentimento latente e lapidado no meu coração. Queria que você sonhasse comigo e no sonho se apaixonasse, para que, quando acordasse para a realidade, o sonho misturasse com o real e eu pudesse te ter de uma forma súbita e inesperada. Eu preciso de cada passo dado seu. Não quero mais esperar... estou à deriva dessa vida que você me promete a cada palavra soada pelos seus lábios doce e intenso. O meio sofrer virou-se um redemoinho, minhas lágrimas ajudaram a fazer cascatas.. Preciso, anseio você. Faça o sonho tornar-se realidade, mesmo que seja por instantes não compreendidos pelo momento, mas o fato de viver o momento não me interessaria compreende-lo, pois a compreensão vem de uma forma arrasadora com a sua harmonizante vida. Não quero mais sofrer sendo feliz.. isso é tão... tão frustrante.. uma apreciação paradoxal... Uma felicidade clandestina que se compõe do mais bruto e com a maior intemperança já vista. Algo que não se pode coabitar, mas que se pode veemente compreender por ser parte daquele ambiente, mesmo sendo não habitado em comum, mas porque a habitação já se faz presente na própria essência do que é. Quero encerrar, desfechar, concluir dizendo que o mergulho é tão profundo que vai a cerca do limitado - mesmo que seja impossível delimitar - algo que é absurdamente incomensurável, mas que pode-se mensurar. Oh, traga-me o amor que necessito, estou a te esperar quero provar desse gosto... mesmo que a realidade se faça sonho...

Um comentário:

Maria Cleide disse...

menino... isso tudo tem fundamento ou são só palavras soltas?
bunito.... xD

Quem sou eu

Minha foto
Nasci em Recife, mas logo fui morar na cidade da Vitória de Santo Antão. Hoje, aqui, sinto que é uma particularidade íntima. Esse meu viver, minhas afinidades com essa cidade, transporta-me a outros mundos.''Sou a fusão do adulto maduro e o menino tenro''. ''Cogito ergo sum'' Escrevo desde os 16 anos e descobri na escrita um pedaço de mim, uma ânsia ardente e gostosa. Não reviso meus textos. Escrevo contos, romances, novelas etc.